quinta-feira, 19 de novembro de 2015

6) Poémata polissílabes


Para compor um poémata polissílabes é só seguir as normas:
estrofes: cinco:  1 monóstico, 1 dístico, 1 tercetoe 2 quartetos;
versos: com 4 palavras; nos versos, conta-se o número de sílabas gramaticais:
a 1ª estrofe só palavras monossílabas;
a 2ª, só palavras dissílabas;
a 3ª, só palavras trissílabas;
a 4ª, só palavras polissílabas;
a 5ª e última 1 palavra monossílaba, uma dissílaba, 1 trissílaba, 1 polissílaba (em qualquer ordem);
artigos, preposições, pronomes são contados;
a rima, a métrica e o tema ficam a critério do poeta;
título; obrigatório.



Referências:


Foto: Liria Lucia Lavisch


Sol

Vem, sol, com luz!

Dilui brumas presas, enfim.
Canta, amor, sorte, vida...

Arrasa tristeza;arrasta inércia!
Tranquilo, difunde agrados, prazeres,
Revela caminhos bonitos, perfeitos...

Ilumina madrugadas alaranjadas, privilegiadas,
Enfraquece desânimo, desesperança, indiferença,
Afugenta tempestades destruidoras firmemente,
Aperfeiçoa benefícios; recompensa refrigérios.

Olha os sorrisos revelados
Nos rostos, alegrias incontidas;
São bênçãos divinas magníficas

Teus raios lavando universo.

Mardilê Friedrich Fabre
I

sábado, 7 de novembro de 2015

5) Poémata multissílabes



Características:
estrofe: um quarteto;
versos: cada verso com 4 palavras com diferentes números de sílabas gramaticais em sequência ou não, sem repetir palavras;
a contagem de artigos, pronomes, preposições, conjunções, interjeições é opcional.



Voz animada

Entre diáfanos véus, coração
Rompe luz cristalina de emoção.
Não viaja triste, embaçado,
Animadas cantigas trinam-lhe a voz.


Referência:


Mardilê Friedrich Fabre
Imagem:gagerodrigues.blogspot.com

domingo, 1 de novembro de 2015

4) Pooémata melsilábico



Para compor um poémata melsilábico só precisamos prestar atenção na estrofe:
um quarteto: cada verso com 4 palavras:
1º verso: 4 palavras monossílabas;
2º verso: 4 palavras dissílabas;
3º verso: 4 palavras trissílabas;
4º verso: 4 palavras polissílabas
Nos 2º, 3º e 4º versos, podem ser usados artigos, pronomes e preposições de uma sílaba sem serem contatos.

O nome da composição literária tem a ver com mel= doçura.

Referência:

http://www.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=4383954


Foto: Sônia Maria Haas


Pôr do Sol

O sol se põe.
Lindo lago fica rosa.
Límpido, reflete emoção imensa.
Horizonte colorido adormece sorridente.

Mardilê Friedrich Fabre

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

3) Poémata habitus

Para criar esta variação do poémata é só seguir as normas:
estrofes: um dístico e um monóstico;
a segunda expressão do primeiro verso do dístico será a primeira do segundo verso do dístico;
rima: o monóstico rima com o segundo verso do dístico;
leva título

Referência:




Lírio

Há um poder mágico que exala do lírio
Exala do lírio pureza e nobreza.
Do leite de Juno nascido, daí sua beleza.
Mardilê Friedrich Fabre

Imagem:flores.culturamix.com 

terça-feira, 6 de outubro de 2015

2) Poémata silabático


  
Características:
estrofes:2 quintilhas com versos de uma palavra:
1ª estrofe:
1º verso: uma palavra monossílaba;
2º verso: uma palavra dissílaba;
3º verso: uma palavra trissílaba;
4º verso: uma palavra polissílaba:
5º verso: uma palavra que passe o significado da mensagem, escrita na vertical;
2ª estrofe: começar os versos, ao contrário da 1ª quintilha, com uma palavra polissílaba, depois trissílaba, dissílaba e monossílaba; o 5º verso diferente do 5º verso da 1ª estrofe, mas com o mesmo sentido,escrita horizontalmente;
os quintos versos são precedidos de reticências entre parênteses;
tema: da preferência do poeta;
título: leva título.

Referência:



Saudade

Tão
Longe
Sorrriso
Silencioso
      (...) Re
              ge
                ne
                  ra
                    dor

Implacável
Saudade
Cessa
E...
(...)Ressuscito

Mardilê Friedrich Fabre

Imagem: ucembrasil.blogspot.com

sábado, 26 de setembro de 2015

Poémata - 1) Poémata Matrix


Poémata é uma composição literária criada pela poetisa brasileira Marli Caldeira Melris. Este tipo de poema apresenta 6 variações que vamos postar aos poucos. Cada semana uma.

     1)   Poémata Matrix

Para compor um poémata é preciso seguir as seguintes normas:

estrofes: um dístico e um monóstico; os versos do dístico começam com a mesma palavra; o monóstico inicia com a última palavra do 2º verso do dístico e rima com a última palavra do 1º verso do dístico;

métrica: versos livres;

é intitulado;

pode versar sobre qualquer tema.

Recebeu este nome em homenagem à neta da criadora cujo nome é Beatriz (triz – trix).



Cupido

O sol espantou o nevoeiro.
O sol trouxe brilho ao coração.

Coração atingido por Cupido matreiro.



Mardilê Friedrich Fabre
Imagem: Google


sábado, 19 de setembro de 2015

Poema Varano



Tipo de poema criado pelo poeta brasileiro Ineifran Varão em janeiro de 2013.

Como compor:

estrofes: no mínimo 2 quintilhas, no máximo 10;

métrica: versos tetrassílabos (4 sílabas poéticas);

rimas: emparelhadas;o 5º verso de cada estrofe rima com o 5º verso da estrofe anterior;as rimas só podem ser repetidas uma vez no poema, mas com palavras diferentes; o esquema das rimas, então,fica o seguinte: AABBC / DDEEC / FFGGC / (e assim por diante); todos os quintos versos têm a mesma rima, que é diferente das outras rimas dos versos;

o 5º verso das estrofes vem precedido de reticências, ele conclui a estrofe e o último 5º verso conclui o poema;

o autor escolhe o tema;

título obrigatório.


 Referências

http://www.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=4086525



Imagem do passado

A noite finda,
A névoa blinda
O sol refém
No céu além
...Um triste dia!

Onde o sentido
Deste alarido
De ave no galho
Como o farfalho
...Que o vento cria?

A chuva toca
E o som evoca
Crise de amor...
Ai quanta dor!
...Coração chia.

Passado volta,
Reviravolta,
Desce lembrança,
Mass não amansa.
...Saudade fria.

Reunião na praça
Sorriso abraça,
Olhar concede
O corpo impede
...Mão de ousadia...


Mardilê Friedrich Fabre
Imagem: g1.globo.com


sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Enlaces disticus



Composição poética criada pela poetisa Aila Brito.
Segundo a autora, o nome deve-se ao entrelaçamento dos dísticos que formam uma décima.
São características do enlaces disticus:
estrofes: 5 dísticos (condensados, ligados, compactos), que formam uma décima e de um dístico ou monóstico, finalizando o poema;
métrica: dispensa
rima: emparelhada AABBCCDDEE; o dístico ou o monóstico final, ou rimam com o primeiro dístico (AA ou A), ou tem nova rima (FF ou F);
título: é intitulado;
assunto: todos os assuntos podem gerar enlaces dísticos.



Minhas rosas

Na erma tarde, atinge-me o aroma das rosas...
Amarelas, vermelhas, brancas...maravilhosas.
Cultivo-as todas com desvelo e carinho.
Em suas pétalas macias, meus sonhos aninho,
Alegro-me que sintam saudades de mim,
Que me queiram delas perto no jardim
Para contar-lhes das minhas inquietudes,
Por que comigo os amores são rudes.
Seu perfume colorido traz-me a brisa
E meu coração se tranquiliza.

Quero-as muito por serem formosas
E ouvirem com atenção minhas prosas.

Mardilê Friedrich Fabre
Imagem:www.lopimagens.com 


sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Merlix


Composição literária criada pelo poeta brasileiro Daniel Miguelavez ou Merlin Magiko.
Apresenta como características:
estrofes: 1 sexteto e um terceto;
rimas: sexteto: ABC ABC, terceto: ABC;
os versos do sexteto devem começar com palavras em ordem alfabética (a, b, c, d, e, f), já as dos versos do terceto não começam em ordem alfabética;
métrica livre;
título obrigatório, precedido de Merlix# 1 (número do merlix);
apresenta-se na ordem crescente (considerando-se a ordem alfabética das primeiras palavras dos versos, que devem ser repetidas em ordem decrescente), sendo obrigatório compô-lo nas duas ordens.

Referência:






Merlix# Lua Mágica

Ah! lua, em teu esplendor
Brilha mágica para mim,
Consola-me, acolhe meus ais,
Dardeja setas em coração amador,
Estende véu de prata pelo jardim,
Festeja com os anjos canções celestiais.

Preenche meus vazios de amor,
Compartilha comigo tua luz de marfim,
Sonha minhas quimeras finais.

Festeja com os anjos canções celestiais,
Estende véu de prata pelo jardim,
Dardeja setas em coração amador,
Consola-me, acolhe meus ais,
Brilha mágica para mim,
Ah! lua, em teu esplendor...

Sonha minhas quimeras finais,
Compartilha comigo tua luz de marfim,
Preenche meus vazios de amor.

Mardilê Friedrich Fabre
Imagem: www.astrocentro.com.br

domingo, 30 de agosto de 2015

Poema dalangola



Composição literária criada pelo poeta angolano José Cambinda Dala.
Para escrever um poema dalangola, deve-se observar o seguinte:
estrofes: um ou mais quintetos;
começar os versos do poema com a mesma consoante, grupo consonantal, dígrafo, grupo de consoantes, seguidos das vogais a, e, i, o, u (nesta sequência) ou pelas vogais a, e ,i, o, u (nesta sequência);
as vogais podem levar acento gráfico;
métrica: livre;
rima: a critério do autor ou versos brancos;
título ( ou colocar “poema dalangola", sendo interessante numerar);

Existe também o poema dalangola menor com estrofe de 4 versos que começa com gu ou qu.

Referência:



Verso

Cai o verso da pena como a gota...
Célere, aninha-o a folha branca.
Cicia dolências de amor contido,
Conta mazelas do coração magoado,
Cunha para sempre sentimentos doridos.

Mardilê Friedrich Fabre

Imagem: orebate-martaperes.blogspot.com

domingo, 23 de agosto de 2015

PoeRima


Composição literária criada pela poetisa brasileira Fernanda Xerez com as características seguintes:
estrofes: um ou mais quartetos;
versos: todos os versos devem começar com a mesma letra da primeira palavra do título;
métrica deve ser definida no primeiro verso do poema ou verso livre;
rima: obrigatória, ficando à escolha dou autor sua estrutura (cruzada, emparelhada, oposta, etc.);
título: obrigatório,mas deve ser seguido pela especificação da letra (PoeRima letra...) e pode ser retirado do corpo do poema.


Referência:



Serafins (PoeRima letra S)

Serafins cantam ao som da lira.
São de paz suas cantigas rosa,
Sonho feliz delas transpira.
Silencia o mundo com devoção ditosa.

Suaves tons levam à luz,
Sonoros desenhos cortam o ar,
Serpenteiam rumo ao céu que os induz.
Selar o bem desejam compartilhar.

Mardilê Friedrich Fabre
Imagem:joicineflor.blogspot.com



sexta-feira, 14 de agosto de 2015

PoeTrês



Esta composição literária é uma criação do poeta brasileiro José Coelho Fernandes. Segundo o autor, poetrês significa poesia com três palavras.
Características:
·         3 tercetos ou mais;
·         cada verso deve ter uma palavra. Os vocábulos monossílabos formados com vogal ou vogal mais consoante (do, de, da, no, lá, em ao,és, etc.) não contam como palavra neste tipo de poema;
·         leva título.

Referência



Saudade

Ao longe,
Um apito
De trem...

Traz
De volta
Alegria.

Meu louco
Coração
Rejubila-se.

Revive
Tempos
Felizes.



Mardilê Friedrich Fabre
Imagem: Google

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Trilho

Composição poética criada pela poetisa brasileira Veraíz Souza (Limeira – SP), formada por uma estrofe ou mais, de oito versos (oitava), que podem ser octossílabos, eneassílabos, decassílabos, hendecassílabos, dodecassílabos (alexandrinos ou não) ou livres. Os versos são brancos, mas o 4º verso repete o 1º, e o 8º, o 5º.
O poema leva título, e o tema preferencialmente é romântico, porém nada impede que se usem outros.
Segundo informações, o nome foi escolhido devido à estrutura do poema: entre dois versos iguais, interpõem-se outros dois, isso duas vezes.
Referência: Informação por e-mail de Carlos Alberto Fiore.

Sempre presente

É teu rosto frágil que vejo.
Teus olhos brilhantes de ontem,
Tuas faces sempre rosadas...
É teu rosto frágil que vejo.
Teus lábios para mim sorrindo,
Teu cabelo negro e ondulado,
Não, não é fácil esquecer-te...
Teus lábios para mim sorrindo.

Em minha mente permaneces,
Emerges de dentro de mim.
Não te perdi como pensei,
Em minha mente permaneces.
Tua imagem esfumaçada
O meu pensamento resgata
E torna-a perfeita, indelével,
Tua imagem esfumaçada.

Mardilê Friedrich Fabre

Imagem:www.leonardodavincioltreinvisibile.it

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Reflexus



O reflexus é uma composição literária criada pelas poetisas Aila Brito e Esther Lessa.
Segundo as criadoras, o nome do poema significa que ele “se reflete para o próprio tema, é um dobrar o pensamento sobre o assunto”.
Características:
·         estrofes: 1 terceto, 1 dístico, 1 monóstico;
·         repetição do título, fechando o poema;
·         sem métrica;
·         esquema de rima: AAA, BB,o monóstico não rima (verso branco);
·         título.
Existem dois tipos de reflexus: o padrão e o livre. No primeiro, todos os versos devem terminar com palavras monossílabas; no segundo, não é necessário que os versos terminem com palavras monossílabas, e o monóstico pode rimar com o terceto.
O autor deve informar se o reflexus é padrão ou livre.

Referências:
http://www.recantodasletras.com.br/teorialiteraria/5062985



Melancolia

Desperta com o sol graciosa flor
De suas pétalas ainda cai dor,
Porta no íntimo a triste cor.

No tom do seu vermelho não brilha o pó
Com o qual a lua a banhou de tanto dó.

Ao seu redor está prateado o chão...

                                 Melancolia...

(Reflexus padrão)



Saudade

Na tarde em que cai chuva discreta,
O silêncio da casa muito me afeta.
Minha alma, sôfrega, está tão quieta!

Uma nostalgia sem causa meu peito invade,
Só eu consigo senti-la com profundidade.

No meu imo, entre brumas, imagens diletas...

                                         Saudade...

(Reflexus livre)


Mardilê Friedrich Fabre

Imagens Google